Redes Sociais

Quantos dados são gerados por minuto nas redes sociais?

Saiba o quanto de informação é gerada em apps como Instagram e Youtube.


Se você é um usuário assíduos de aplicativos como o Instagram, o Uber e o Youtube já deve ter uma ideia de que são geradas muitas informações a cada instante nessas redes sociais. A cada minuto, são publicados novos conteúdos, além de serem gerados registros de curtidas, comentários e mensagens privadas.

 

A internet no Brasil ainda não é tão avançada quanto em outros países, por isso em termos de criação de conteúdo podemos ficar para trás. Mas fato é que estamos cada vez mais conectados, gerando dados sobre nosso comportamentos, conversas e intenções de consumo a partir das redes.

 

Em julho de 2019, a empresa norte-americana Domo lançou a sétima edição da Pesquisa "Data Never Sleeps", ou "os dados nunca dormem". Essa pesquisa mostra o quanto de dados são gerados a cada minuto nas principais redes sociais do mundo. É muito útil para termos uma noção da dimensão dessas ferramentas e o quanto de informações estamos fornecendo a cada 60 segundos para grandes corporações.

 

Confira o infográfico abaixo para saber os principais dados da pesquisa: 

  

Outros dados interessantes da pesquisa são o número de reservas pelo Airbnb por minuto, que chega a 1.389, e o número de aplicativos baixados em celulares, de 390.030. O Tinder e a Netflix também são apontados como empresas que geram muitas informações a partir do comportamento de seus usuários a cada instante.

 

Com essa quantidade de dados, os usuários começam a se preocupar cada vez mais com a segurança dessas informações. Por meio dos aplicativos, são guardadas na nuvem informações de trajetos, endereços, números de cartões de crédito, mensagens pessoais, pesquisas realizadas, histórico de navegação, entre muitos outros dados. Além disso, existem as informações pessoais que ficam sob o domínio de lojas online, empresas, sistemas de gestão, além de outras ferramentas usadas no dia a dia.

 

No Brasil, a segurança dos dados pessoais está tendo avanços significativos. Entra em vigor em agosto de 2020 a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que visa aumentar a segurança das informações pessoais que são obtidas por empresas. A partir da vigência da lei, os usuários devem dar o consentimento para a captação de informações pessoais e terem controle sobre quais dados as empresas têm sobre eles.

 

Essa nova legislação impacta principalmente empresas de sites e softwares, lojas online, hospitais, advogados e contadores, além de todas as instituições que lidam com dados pessoais no dia a dia, como nome, CPF, endereço, dados bancários, entre outros. As empresas que não se adequarem à LGPD podem sofrer multas de 2% do faturamento, podendo chegar ao valor de R$ 50 milhões.

 

Até agosto de 2020, todas as pessoas que lidam com dados pessoais devem ter conhecido sobre a lei, para tratar com segurança as informações de clientes e colaboradores e evitar problemas futuros. Além disso, os usuários devem saber que terão mais autonomia sobre os dados e exigir maior transparência por parte das empresas, a fim de evitar que esses dados sejam usados para fins comerciais sem o consentimento do proprietário das informações.

SEE ALSO ...