Redes Sociais

Youtube deve pagar U$ 170 milhões por violar privacidade infantil

Canais da rede social coletavam dados sem permissão dos pais


O Google e sua subsidiária YouTube pagarão US $ 170 milhões para resolver alegações da Federal Trade Commission e do Procurador Geral de Nova York de que o serviço de compartilhamento de vídeos coletou ilegalmente informações pessoais de crianças sem o consentimento dos pais.

 

O acordo exige que o Google e o YouTube paguem US$ 136 milhões à FTC e US$ 34 milhões a Nova York por supostamente violarem a regra da Lei de Proteção à Privacidade Online das Crianças (COPPA). A penalidade de US$ 136 milhões é de longe a maior quantia que a FTC já obteve em um caso da COPPA desde que o Congresso promulgou a lei em 1998.

 

Em uma denúncia apresentada contra as empresas, a FTC e a Procuradoria Geral de Nova York alegam que o YouTube violou a Regra da COPPA ao coletar informações pessoais - na forma de identificadores persistentes usados ??para rastrear usuários pela Internet - de visualizadores de canais direcionados a crianças, sem primeiro notificar os pais e obter o consentimento deles. O YouTube ganhou milhões de dólares usando os identificadores, conhecidos como cookies, para entregar anúncios direcionados aos espectadores desses canais, de acordo com a denúncia.

 

A regra da COPPA exige que sites e serviços on-line direcionados a crianças notifiquem suas práticas de informações e obtenham o consentimento dos pais antes de coletar informações pessoais de crianças menores de 13 anos, incluindo o uso de identificadores persistentes para rastrear os hábitos de navegação na Internet de um usuário para publicidade direcionada. 

 

"O YouTube divulgou sua popularidade entre as crianças a possíveis clientes corporativos", disse Joe Simons, presidente da FTC. "No entanto, quando se tratou de cumprir a COPPA, a empresa se recusou a reconhecer que partes de sua plataforma eram claramente direcionadas para crianças. Não há desculpa para violações da lei do YouTube".

 

A rede social afirmou que vai parar completamente de veicular anúncios personalizados em conteúdo focado em crianças e desabilitará comentários e notificações nesses vídeos. Os criadores serão responsáveis ??por identificar se o conteúdo é feito para crianças, mas o YouTube disse que também usará o aprendizado de máquina (o famoso machine learning) "para encontrar vídeos que visem claramente o público jovem".

 

A empresa ainda recomendou que os pais usassem seu aplicativo separado, o YouTube Kids, para permitir que crianças menores de 13 anos assistissem por conta própria. A rede social promoverá o aplicativo de maneira mais intensa em seus serviços e está criando um fundo de US$ 100 milhões a ser desembolsado ao longo de três anos para criar novos conteúdos para crianças no YouTube e no YouTube Kids.


Fontes: FTC e CNBC

SEE ALSO ...