Destaque

Privacy Tools aterrissa em Singapura e mira mercado asiático

A meta é estabelecer base de clientes em Singapura, Malásia e sudeste asiático em 2021.


A startup brasileira de privacidade e proteção de dados, Privacy Tools, começa a sua expansão internacional pelo emergente e forte mercado asiático, iniciando por Singapura, que possui uma lei de proteção de dados pessoais em vigor (PDPA) com bastante similaridade em relação à legislação brasileira (LGPD).

A Lei de Proteção de Dados Pessoais de 2012 (PDPA) se aplica à proteção de dados pessoais em Singapura, inclusive para casos de transferência de dados pessoais internacionalmente para processamento. A PDPA rege a coleta, o uso, a divulgação e a proteção de dados pessoais.

Anexada pelo Japão durante a II Guerra Mundial, Singapura se uniu, anos depois, à Federação da Malásia. Devido a muitas diferenças culturais e ideológicas entre esses povos, Singapura foi obrigada a sair do grupo e precisou se governar de maneira independente a partir de 1965.

A separação da Malásia significou grandes desafios para um país de independência recente,  necessitando enfrentar desafios tais como falta de habitação, desemprego e pouca infra-estrutura. Mas os problemas enfrentados foram contornados e, através de uma política de exportação forte, incentivos para o investimento estrangeiro e tirando proveito da própria localização do seu porto, o primeiro Presidente do país, Yusof Bin Ishak, juntamente com o Primeiro Ministro Lee Kuan Yew, conseguiram colocar o jovem país de pé.

Em pouco tempo a nação se desenvolveu e apenas cerca de 50 anos depois Singapura é hoje um dos países mais ricos do mundo, perdendo apenas para Qatar, Luxemburgo e Macau.

Mas porque atuar em um mercado tão distante e não em mercados mais tradicionais como EUA e Europa? Segundo a CEO da Privacy Tools, Aline Deparis,  "O PIB da Singapura tem um dos maiores crescimentos do mundo e o setor de serviços tem um lugar de ainda mais destaque no desenvolvimento da economia do país, sendo 70% do PIB gerado por ele. Com todo esse crescimento movido por SMB em um país que fala uma variação do Inglês como idioma nativo não encontramos barreiras de entrada e concorrentes, então buscamos um parceiro forte na região com centenas de oportunidades para explorar."

No Brasil a LGPD está em vigor desde setembro de 2020 e desde então diversas empresas buscaram os serviços da Privacy Tools para seus projetos de adequação. A plataforma da Privacy Tools apoiou o sucesso do projeto de adequação da LGPD em mais uma centena de projetos atuando em diversas frentes como gerenciamento de cookies, controle de políticas de privacidade, gestão do consentimento e preferências de privacidade, mapeamento e fluxo de dados e integrações para automação dos fluxos de atendimento aos direitos dos titulares.

A atuação da empresa na Ásia não é  por acaso, a startup é acelerada pela Obr.global uma empresa que busca internacionalizar negócios de alta escala e potencial. A Privacy Tools possui parceiros em Portugal, Itália e EUA e estabelece a partir de agora local dedicado para atendimento aos clientes com foco na PDPA.

 

Sobre a Privacy Tools

A PrivacyTools é uma PrivacyTech, acelerado pela Obr.global e é uma das pioneiras no Brasil na oferta de soluções para privacidade com foco na LGPD e outros frameworks regulatórios.

A startup visa transformar a forma como as empresas protegem e gerenciam a privacidade dos dados pessoais e conta com clientes como Rede D'or, Banco RCI, Farmácias São João, Synnex Corporation, entre outros.  

 

Sobre os fundadores:

Aline Deparis: CEO da PrivacyTools, analista de Sistemas por formação e somando mais de 15 anos de experiência no setor de TI, hoje Aline está frente a Presidência da Assespro-rs (2019/2020) e CEO do Grupo Maven, composto pelas empresas de TI: Maven Inventing, Trubr e PrivacyTools. Atualmente também como presidente CETI-RS (Conselho das Entidades de TI do RS) e membro do Conselho Fiscal do iColab.

Marison Souza: CTO da PrivacyTools, arquiteto de softwares com vasta experiência em projetos de alta complexidade, segurança e inovação, tendo sido responsável por projetos importantes em empresas e órgãos como TSE, Grupo RBS, TCU, entre outros. Possui conhecimento em tecnologias OpenSource, atuando no mercado de desenvolvimento, pesquisa, criação e arquitetura de sistemas há 17 anos.  

 

Sobre Robert Janssen - Aceleradora OBr.global:  

A evolução de grande parte dos programas de internacionalização de empresas brasileiras tem na sua origem as "digitais" de Robert Janssen. Bacharel em Negócios Internacionais pela San Diego State University e licenciado em Sistemas da Informação pela Monterey Peninsula College. Executivo sênior e advisor de empresas com mais de 30 anos de sucesso no desenvolvimento de negócios internacionais nos setores de TI, educação, energia, biotecnologia e varejo.  Atualmente é membro de diversos grupos anjos do Vale do Silício, vice-presidente de Relações Internacionais da Assespro (principal associação de empresas brasileiras de TI). Em 2015, 2016 e 2017 foi eleito um dos 50 executivos de TI mais influentes dos Estados Unidos no segmento de empresas de médio porte.

Comments