Notícias

Aline Deparis fará palestra no LawCamp no dia 8 de março

As atividades ocorrerão entre 8 e 14 de março e serão online


CEO da Privacy Tools, empresa de Porto Alegre/RS que oferece soluções tecnológicas de adequação à LGPD, Aline Deparis participará da primeira edição do LawCamp. O evento terá o objetivo de aliar aprendizado e competição nos temas que envolvem a Lei Geral de Proteção de Dados.

 

As atividades ocorrerão entre 8 e 14 de março. Serão 5 dias de workshops sobre proteção de dados e mais 2 dias de uma competição no formato de imersão, que colocará à prova os conhecimentos dos participantes. A palestra de Aline será no dia 8, às 20h, com o tema "LGPD para startups - Impacto e ferramentas".

 

Aline Deparis é CEO da Privacy Tools, Analista de Sistemas por formação e tem mais de 15 anos de experiência no setor de TI. Foi presidente da Assespro-rs entre 2019 e 2020 e cofounder da Maven e Trubr. Foi  também presidente CETI-RS (Conselho das Entidades de TI do RS) e membro do Conselho Fiscal do iColab.

 

Além da CEO da Privacy Tools, farão parte da grade de palestras profissionais como Camilla Pinheiro, Raquel Rinaldi, Camilla Telles, Marcílio Guedes Drummond, Taynara Rodrigues e Felipe, Henrique Horta, Patrícia Peck, Luiza Leite, Daniel Almeida e Fabiana Greffe.

 

Para conferir a programação completa, valor e realizar sua inscrição, acesse a página do evento no Sympla.

 

O LawCamp está sendo promovido pela LawQuest, uma plataforma que visa capacitar e certificar profissionais para as transformações jurídicas no mercado. A empresa utiliza uma estratégia diferente de avaliação, atuando de maneira prática, intuitiva e disruptiva e utilizando a gamificação.

 

Legaltechs/Lawtechs crescem no Brasil

 

Com a necessidade de se adequar às novas leis, muitas empresas recorrem a empresas terceirizadas e, com esse cenário, começam a surgir cada vez mais Legaltechs, ou Lawtechs.

 

Essas novas empresas buscam utilizar a tecnologia para revolucionar o mercado jurídico. Todas as plataformas e sistemas que auxiliem escritórios de advocacia a atenderem melhor seus clientes e empresas a estarem de acordo com as leis são considerados Legaltechs. Geralmente essas empresas são jovens e têm modelos de negócios escaláveis e inovadores.

 

Para exemplificar o crescimento do setor, em 2010 os portais de startups Angel List e Crunch Base contavam com menos de 20 Legaltechs. Já em 2018, o mundo contava com mais de 1.500 startups atuando nesse segmento.

 

A categoria já conta até com uma associação: a AB2L, Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs. A instituição tem a missão de apoiar o desenvolvimento das empresas da área, estimular as melhores práticas profissionais e democratizar o conhecimento jurídico. Existe desde 2017, oferecendo encontros, cursos e mentorias.

 

De acordo com a AB2L, existem seis tipos de Legaltechs atualmente:

  • Compliance: soluções para cumprir as leis, normas e políticas internas em instituições;
  • IA - Setor Público: oferecem Inteligência Artificial para tribunais e setor público;
  • Regtech: resolvem problemas gerados por exigências de regulamentação;
  • Taxtech: trabalham com tecnologias e soluções para fins tributários; 
  • Civic Tech: oferecem soluções no relacionamento entre pessoas e instituições; 
  • Real Estate Tech: oferecem soluções voltadas ao mercado imobiliário.



Comments