Proteção de dados

Mulheres ganham destaque na área de privacidade

Privacy Tools organiza evento de Marketing e Compliance somente com palestrantes mulheres


Estamos no mês das mulheres e nessa época fica ainda mais evidente o espaço que elas têm ocupado nas áreas de privacidade e proteção de dados. As mulheres estão envolvidas nesses temas, seja pelo olhar da tecnologia, direito, marketing, vendas, entre outros segmentos.

 

Cada vez mais se vê a presença feminina nas áreas relacionadas ao digital e isso é um indício das transformações que o mundo vem passando, no caminho de um mercado de trabalho mais igualitário e com oportunidades para todos e todas.

 

Nesta semana, a Privacy Tools, empresa de gestão de privacidade, organizou um evento sobre Marketing e Compliance apenas com palestrantes mulheres. A conversa, que foi transmitida ao vivo na manhã de terça-feira, contou com Daniela Mozer (Privacy Tools), Carmina Hissa (ABRASECI e Hissa & Galamba Advogado), Fernanda Nones (Resultados Digitais) e Lidiane Leles (ANADD).

 

O bate-papo está disponível para visualização no Youtube e durou 1 hora. Entre os temas debatidos, estiveram transferência internacional de dados, mapeamento de processos, diagnóstico de riscos, bases legais para coleta de dados, direitos dos titulares, entre outros assuntos.

 

Espaço vai sendo conquistado

 

Aos poucos, as mulheres ganham destaque nas mais diversas áreas, mas ainda há um caminho a ser percorrido. A área jurídica é um exemplo. De acordo com a Women in Law Mentoring Brasil, as mulheres representam 57% dos profissionais do Direito, porém, são apenas 34,9% dos sócios de capital. Na ANPD (Autoridade Nacional de Proteção de Dados), por exemplo, dos cinco membros da diretoria, duas são mulheres. 

 

Também existem iniciativas que buscam unir e fortalecer as profissionais das áreas de privacidade e proteção de dados. Há o projeto Mulheres na Privacidade, que é descrito como "uma rede horizontal e colaborativa destinada a fomentar estudos, eventos, troca de conhecimentos e desabafos das dores e delícias que envolvem as trajetórias das mulheres no mercado de trabalho - mais especificamente na área de privacidade e proteção de dados". 

 

No LinkedIn também há a página Mulheres da LGPD, com mais de 1.200 seguidores. De acordo com a descrição, a iniciativa "visa o compartilhamento de informações, experiências, desafios e conquistas sobre a Lei, a implantação de Programas de Proteção e Privacidade de Dados bem como a promoção da diversidade de gênero na área de data privacy".

 

Referências femininas na área de privacidade

 

Muitos livros da área de privacidade e proteção de dados são escritos por mulheres. Confira alguns exemplos:

 

  • Privacidade, proteção de dados e defesa do consumidor: Linhas gerais de um novo direito fundamental - Laura Schertel Ferreira (2013)

 

  • Manipulados: como a Cambridge Analytica e o Facebook invadiram a privacidade de milhões e botaram a democracia em xeque - Brittany Kaiser (2019)

 

  • A Era do Capitalismo de Vigilância Capa comum - Shoshana Zuboff (2021)

 

  • Direito Digital - Patricia Peck Garrido (2021)

 

Seja por meio da compra e leitura de obras, ou da participação em grupos ou eventos, é importante apoiar as mulheres que atuam em áreas até pouco tempo atrás predominadas pelos homens.

 

Independente de gênero, o mercado de privacidade e proteção de dados atrai cada vez mais profissionais e ganha destaque no Brasil e no mundo. De acordo com a Exame, a privacidade e a cibersegurança são grandes tendências no Direito e esse tema também traz grandes oportunidades para profissionais de outras áreas.

 

Comments